segunda-feira, 27 de março de 2017

Pru modo de que...

É só encanto... respeita seu moço meu jeito sim, esse ensejo de sempre falar... Andei muito calada, de asa quebrada, num não despertar... Adormeci calada, de alma virada de tanto me linchar... eu não quero mais amor que me prenda, figura que me condena pru modo de eu me portar... sou dona de mim, viagem sem volta, passageiro de porta, mas eu quero é pilotar... eu não quero mais vida que prenda, moléstia não se aguenta, há de se reclamar!... eu não quero mais... o que eu quero ainda tá pra nascer em minhas ideias e no meu coração. Sei do não querer, do bem querer ainda é só confusão...

Nenhum comentário: