quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Eu preciso de silêncio.

Eu preciso tanto de silêncio mas o barulho do silêncio é tão ensudercedor!
Eu falo tanto com os outros, mas comigo mesma eu grito, grito, grito! Grito numa violência exagerada uma angustia sufocada e penso: Meu Deus, o que será que será???...
É que eu só queria amar.
Eu amo tanto a liberdade que me invade essa falta de amor. Porque meu amor morreu ou vai ver ele nunca nasceu. O que será que será???...
Idaguei outro dia sobre o que seria o amor (ou a minha querida tal liberdade...).
Descobri que não sei exatamente o que é. De fato, eu só sei o que não é. Mas talvez isso já seja suficiente. Seja uma marca de personalidade, porque por vezes tenho essa mesma sensação, de não saber quem sou, mas saber exatamente o que não sou.
Então, minha amada existe e é até quase carne e osso. Basta então ela nascer, renascer (não sei bem se é caso de reencarnação e ou se gerar de verdade...).
Mas o que é certo é que é um parto!
Ou aborto? Sinto por vezes que ela é abortada... até em mim (seria meu amor uma filha também???...)
Outro dia disse algo como isso, quando questionada sobre uma carta de valores onde só caberiam 5 iténs, e onde a decisão não era só minha. Dai resmunguei: sempre que precisam tirar alguma coisa, por mais nobre que seja a causa, sempre nos tiram a liberdade!...
Pois é assim...Às vezes sinto esse vazio de um amor que quer nascer e o espero, mas ele não nasce!
Onde andará meu amor?...
Sei apenas que ele é fruto possível de muitos ventres, gerado em muitos ventres, abortado em muitos ventres.

Um comentário:

Diogo Leite disse...

Oi.. acho que o que vc quer dizer, se é que é para entender.. pode se encaixar no filme Depois da Vida, já assistiu?
Então.. a história é a seguinte.. algumas pessoas morrem e tem que escolher qual lembrança vão carregar para o resto da eternidade para se lembrarem... e aí entra a pergunta: Qual é a minha melhor lembrança? Qual foi meu melhor momento? Quando vemos são tantos que nem sabemos por onde começar...

Bom, é isso!

como diria a turma do Perna-Longa.. That's All Folks

abraços